"Essas palavras que escrevo me protegem da completa loucura." Charles Bukowski

sábado, maio 14, 2011

Amar é Punk




Eu já passei da idade de ter um tipo físico de homem ideal para eu me relacionar. Antes, só se fosse estranho (bem estranho). Tivesse um figurino perturbado. Gostasse de rock mais que tudo. Tivesse no mínimo um piercing (e uma tatuagem gigante). Soubesse tocar algum instrumento. E usasse All Star. Uma coisa meio Dave Grohl. Hoje em dia eu continuo insistindo no quesito All Star e rock´n roll, mas confesso que muita coisa mudou. É, pessoal, não tem jeito. Relacionamento a gente constrói. Dia após dia. Dosando paciência, silêncios e longas conversas. Engraçado que quando a gente pára de acreditar em “amor da vida”, um amor pra vida da gente aparece. Sem o glamour da alma gêmea. Sem as promessas de ser pra sempre. Sem borboletas no estômago. Sem noites de insônia. É uma coisa simples do tipo: você conhece o cara. Começa, aos poucos, a admirá-lo. A achá-lo foda. E, quando vê, você tá fazendo coraçãozinho com a mão igual uma pangaré. (E escrevendo textos no blog para que ele entenda uma coisa: dessa vez, meu caro, é diferente). Adeus expectativas irreais, adeus sonhos de adolescente. Ele vai esquecer todo mês o aniversário de namoro, mas vai se lembrar sempre que você gosta do seu pão-de-sal bem branco (e com muito queijo). Ele não vai fazer declarações românticas e jantares à luz de vela, mas vai saber que você está de TPM no primeiro “Oi”, te perdoando docemente de qualquer frase dita com mais rispidez. Ah, gente, sei lá. Descobri que gosto mesmo é do tal amor. DA PAIXÃO, NÃO. Depois de anos escrevendo sobre querer alguém que me tire o chão, que me roube o ar, venho humildemente me retificar. EU QUERO ALGUÉM QUE DIVIDA O CHÃO COMIGO. QUERO ALGUÉM QUE ME TRAGA FÔLEGO. Entenderam? Quero dormir abraçada sem susto. Quero acordar e ver que (aconteça o que acontecer), tudo vai estar em seu lugar. Sem ansiedades. Sem montanhas-russas. Antes eu achava que, se não tivesse paixão, eu iria parar de escrever, minha inspiração iria acabar e meus futuros livros iriam pra seção B da auto-ajuda, com um monte de margaridinhas na capa. Mas, caramba! Descobri que não é nada disso. Não existe nada mais contestador do que amar uma pessoa só. Amar é ser rebelde. É atravessar o escuro. É, no meu caso, mudar o conceito de tudo o que já pensei que pudesse ser amor. Não, antes era paixão. Antes era imaturidade. Antes era uma procura por mim mesma que não tinha acontecido. Sei que já falei muito sobre amor, acho que é o grande tema da vida da gente. Mas amor não é só poesia e refrão. Amor é reconstrução.É ritmo. Pausas. Desafinos. E desafios. Demorei anos pra concordar com meu querido  Cazuza: “eu quero um amor tranqüilo, com sabor de fruta mordida”. Antes, ao ouvir essa música, eu sempre pensava (e não dizia): porra, que tédio! Ah, Cazuza! Ele sempre soube. Paixão é para os fracos. Mas amar - ah, o amor! - AMAR É PUNK.


Fernanda Mello

12 comentários:

Alene Mattos disse...

"Hoje em dia eu continuo insistindo no quesito All Star e rock´n roll, mas confesso que muita coisa mudou." - mas eu abro uma exceção pra um Adidas Star...

Mariana disse...

Achei a ótima a ideia dela das crônicas digitais
tem uma que eu já gosto 'Retrato da gente'acho linda,vc já viu?

Enfermagem Online disse...

Lindo Blog. Parabéns!!!

O segredo das coisas perdidas. disse...

rsrsrsrsrsr!!
Que coisa engraçada isso!!
Eu também tinha essa mesma idéia de homem que vc, e ainda hoje, se n gostar de rock'n'roll pra mim n serve!! Mas ai vem uma coisa curiosa nisso td.. Me apaixonei pelo meu namorado quando tinha 13 anos de idade, justamente por ele ser assim, usava all star, ouvia rock, tinha piercings, e 7 tatuagens!! E ele sempre foi meu amor platônico, até que um dia começamos a namorar e hj temos 5 anos e meio de namoro!! E é exatamente como vc falou!! Ele não é a pessoa mais romântica do mundo, mas perdoa minha TPM, sabe todas as minhas preferências e mesmo que agora estejamos distantes, ele mesmo assim ta sempre aqui, por mim, e para mim, quando eu preciso!
Então concordo com vc, amar é realmente PUNK, e é pra quem consegue, apesar de descobrir que nem tudo são flores, conseguem continuar acreditando e amando sentir esse tal AMOR!!
aah, me identifico tanto com o que vc escreve!!!
Um beijo pra vc!!

O segredo das coisas perdidas. disse...

Agora que eu vi que o texto não é seuu!! que é esse do vídeoo!!
mas eu amei mesmo assimm!!!

Alene Mattos disse...

é da sua xará Fernanda Mello! adorei pq tbm tenho preferência por rockeiros e all star! não resisto... rolou identificação total com o texto!!! haushaushaushau...

♥ Luciana Mira ♥ disse...

Ah, que tão lindo!

O segredo das coisas perdidas. disse...

hueheuhuehe!! É, eu enteeendo isso!!

Renata Fagundes disse...

Quando a gente desiste de esperar ele chega, sem cara de principe encantado, mas com o coração inteiro.


beeeeijo Alene

Paolla Bensuaski disse...

Oii ;')

quando der, entra na página de selinhos do meu blog, que o selinho numero 73º é pra você :)

espero qe goste, beeeijo.

Clézia-Sam Soares disse...

amei o texto... bom ver que existem "loucos" como eu... que apenas passaram a ver o amor com ouros olhos... AMEI!!!!

Merlaine Garcês disse...

Obrigada gata... por todas as palavras de conforto!

Abraços!